A Rolinha Voôu

Zé Fortuna & Pitangueira

Compositor: Não Disponível

A rolinha voou, voou, voou
Deixa a rola voar, voar, voar.
O meu pinho chorou, chorou, chorou.
Deixa o pinho chorar, chorar, chorar.

Um papagaio foi pousar no galinheiro bem debaixo do puleiro e fez um bruto escarcéu
Gritou pro galo feche logo essa torneira pra ficá nesta goteira só mesmo tendo um chapéu.

Porque será que quando um homem se rebola num cordão carnavalesco fantasiado de muié
A gente pensa que é apenas fantasia mas depois de oiá direito é que a gente vê que é

Nariz comprido tinha a maria teresa, quando sentava na mesa no nariz botava escora
Quando morreu que baixou na sepultura, sete palmos de fundura e o nariz ficou de fora.

Muié bem alta é a maria espaiabrasa quando ela entra em casa tem que entrá de quatro pé
E o seu marido passa uma vida apertada tem que subi numa escada pra podê beijar a muié.

Um farmacêutico receitou pro chico bode um remédio pro bigode e mais outro pra muié
Tomaram errado o remédio, que pagode, na muié nasceu bigode e o chico teve um bebê.

Porque será que a galinha quando bota, se o ovo for bem grande o galo enfeza pra chuchu
Fala pra ela já meio desconfiado que termine o quanto antes esta amizade com o peru

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital