A Justiça De Um Filho

Zé Fortuna & Pitangueira

Compositor: Leo Canhoto

Abandonando a esposa e um filhinho, um certo homem saiu pelo mundo além
Deixou em pranto a sua pobre família, desamparada neste mundo sem ninguém
A pobre esposa sofria desesperada, com o filhinho que tinha pra sustentar
Qual uma ave solitária no deserto, que não encontra nem um ramo pra pousar.

E com o fruto e o suor de seu trabalho, a pobre esposa pôs o filho a estudar
Ele formou-se para juiz de direito, agora então sua missão era julgar
Enquanto isso o seu pai por este mundo, perambulava pra cumprir o seu destino
Um certo dia pra roubar ele matou tornou-se assim o mais cruel dos assassinos.

Por esse crime o velho foi aprisionado e foi marcado o dia do julgamento
No tribunal o pobre de cabeça baixa, ficou chorando esperando o momento
E o seu filho que agora era o juiz, tinha um dilema dentro do seu coração
Foi obrigado pela lei fazer justiça, mandando assim seu próprio pai para a prisão.

Dada a sentença todo o povo foi saindo, mas o juiz permaneceu neste salão
E olhando triste para o rosto de seu pai ajoelhado aos seus pés pediu perdão
O pobre velho soluçando respondeu, filho querido eu lhe dou minha bênção
Fizeste bem em condenar-me pelo crime, sejas honesto não pratiques traição.

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital