A Carta

Zé Fortuna & Pitangueira

Compositor: Não Disponível

Recebi uma cartinha hoje estou muito feliz
Veja, é de minha esposa, vamos ver o que ela diz.
Ao lado do meu fuzil neste campo de batalha
Pode troar os canhões e espoucar as metralhas
Quero um minuto de paz para esta cartinha eu ler
Eu já posso imaginar o que ela manda dizer.
Veja é como eu imaginava
-
- o nosso filho, carlinhos, quer que você volte logo
Pra brincar de cavalinho...
- esse meu filho é peralta. parece que ouço agora
Ele dizer: mamãezinha, como eu gosto da senhora.
Bem, mas vejamos o que diz mais.
-
- o papagaio cresceu e os primeiros palavrões o bichinho já aprendeu,
Mas vamos ao que interessa. escrevi pra lhe dizer
Que esta é a última carta que de mim vais receber.
Sofrendo necessidade, cansada de te esperar,
Arranjei um outro homem para ocupar teu lugar.
Eu peço que me perdoe e não te esqueças de mim
Foi a fome e a miséria que obrigou-me a agir assim.
-
- meus amigos, vocês ouviram?
Eis a carta da traição, suas palavras são punhais varando meu coração
Está aqui, querem ler? veja o contraste, senhor.
Vencer a luta da guerra e perder a luta do amor.
Ela me abandonou, não é para enlouquecer?
Quanto é grande a minha dor, quanto é triste o meu sofrer,
Mas que culpa eu tive, meu deus. não fui eu que quis a guerra
Foi o destino que um dia levou-me pra longe dela.

Maldita carta, maldita, vou te fazer em pedaços
Oh, carta por que trouxeste o aviso de meu fracasso?
Atiro-te ao chão, carta ingrata, pois tu mereces o pó
Porque também me deixaste no mundo sofrendo só.
Pedacinhos de papéis, veja o carimbo: brasil, e eis a data cruel: dia primeiro de abril.

Dia primeiro de abril?
E não seria, amigos, talvez uma brincadeira que ela quis fazer comigo?
Sim, talvez seja isso, onde está, deixa-me ver
O finalzinho da carta que eu não cheguei a ler. está aqui:
-
- meu bem, desculpe eu ter brincado assim. você acreditou? bobinho!
Você é tudo pra mim.
Hoje é primeiro de abril, por isso é que eu menti
Mas a verdade é que eu vivo sempre esperando por ti
É mentira quando eu disse que passo necessidade
Saudade também alimenta e eu vivo dessa saudade
Ao regressares querido, aqui hás de me encontrar
Aguardando teu regresso em nosso pequeno lar.
Ao terminar esta carta aceite com todo o ardor
Milhões de beijos e abraços e até breve, meu amor.
-
- oh, como eu sou bobo, meu bem, tiveste a certeza agora
Quanto eu te amo, querida. quanto minh’alma te adora
Viu como ainda por ti de amor minh’alma delira,
Oh meu bem, eu te agradeço esta sublime mentira.

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital