A Porteira

Zé Fortuna & Pitangueira

Compositor: Carlos Cezar / José Fotuna / Oswaldo Bettio

Uma porteira que existia onde eu morava
Quando a noitinha chegava, ali toda a vizinhança
Contando estórias ao luar se reuniam
Junto a porteira que um dia viu raiar a minha infância

Ficava ao lado de uma estrada boiadeira
A batida da porteira ecoava no sertão
Ecos que ainda permanecem em meus ouvidos
No estradão de chão batido, chão de minha solidão

Como a porteira que eu fechei lá no estradão
Outra porteira dentro do meu coração
Hoje divide meus caminhos desiguais
Que se fechou no triste adeus do nunca mais

Porteira velha no caminho de meus passos
A batida de seus braços em seu peito de madeira
Foi a divisa da infância pra mocidade
No batente da saudade ficou marcas derradeiras

Na outra banda eu deixei o meu passado
E chorando deste lado arrasto a cruz do presente
Presente triste de chegadas e partidas
Onde a porteira da vida deixou marcas no batente

Como a porteira que eu fechei lá no estradão
Outra porteira dentro do meu coração
Hoje divide meus caminhos desiguais
Que se fechou no triste adeus do nunca mais

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital