Pulga Malvada

Zé Fortuna & Pitangueira

Compositor: Jose Fortuna / Pitangueira

Acordei com uma ferroada me doendo tanto que eu pedi socorro
era uma purga marvada que tava pensando que eu fosse cachorro
veio a mulher e os filhos, e também a sogra prá purga matá
com machado e picareta, foice, carabina, martelo e punhá.
Coça prá cá, que purguinha tagarela
coça prá lá, e nada de encontrá ela
coça prá cá, desde o pé até o focinho
mandei todo mundo embora resolvi agora procurá sozinho.

Ela tava na cabeça, eu tava atrás
Ela desceu pro nariz, eu tava atrás
e continuou descendo, eu tava atrás,
ela desceu pro pescoço, eu tava atrás
e continuou descendo, eu tava atrás,
mas daí ela sumiu quando eu não dava por fé
eu senti um pinicão, hãã, já tava no pé.

©2003- 2018 lyrics.com.br · Aviso Legal · Política de Privacidade · Fale Conosco desenvolvido por Studio Sol Comunicação Digital